Mitos e estereótipos no sexo, nos quais é hora de parar de acreditar

Mitos e estereótipos no sexo, nos quais é hora de parar de acreditar

Mitos e estereótipos no sexo, nos quais é hora de parar de acreditar

 

Apesar do século XXI, da posição ativa na vida da geração Z e da disponibilidade de informações, ainda existem muitos rumores e lendas sobre sexo. Obras-primas de Hollywood e “namorada me contou” são percebidas pelo valor de face. E no contexto da falta de educação sexual adequada e tópicos tabus, formam uma realidade paralela. O que muitas vezes não tem nada a ver com a realidade.

Aqui estão apenas alguns dos mitos e estereótipos sociais sobre sexo nos quais muitos ainda acreditam.

Mito 1: O tamanho importa

Numerosos estudos de cientistas e pesquisas de opinião provam que não há correlação direta entre o tamanho da dignidade masculina e sua capacidade de satisfazer uma mulher. E a autora do livro “Sex Made Easy”, pesquisadora americana Debbie Herbenick, afirma que o primeiro lugar no prazer do sexo para homens e mulheres é a conexão emocional entre parceiros, e não a forma ou tamanho dos órgãos genitais. A mama feminina em relação à relação de seu tamanho e conveniência para um homem também está preocupada. Se as pessoas se querem – e quanto ao tamanho? Obviamente se ele usar o Tribulus Power 3.0 e tiver um pênis maior, melhor.

Mito 2: Todos os homens são polígamos

Nos tempos das cavernas, quando havia uma tarefa aguda de gerar filhos saudáveis ​​e viáveis, é compreensível: a tarefa do macho é fertilizar o maior número possível de fêmeas, a tarefa da fêmea é escolher um status masculino. Um. E dar à luz filhos dele. Mas o homo sapiens percorreu um longo caminho na evolução, e as pesquisas modernas comprovam que a lealdade e a devoção a um parceiro são ainda mais benéficas do ponto de vista prático (relacionamentos monogâmicos contribuem para a longevidade e reduzem o estresse). E se falamos de fisiologia, o corpo feminino é apenas mais adaptado à presença de vários parceiros, apenas porque as mulheres são capazes de receber múltiplos orgasmos quantas vezes quiserem. É o que diz o psicólogo Christopher Ryan no trabalho “Dawn of Sex”.

Mito 3: Todos os homens pensam apenas em sexo

Até dados específicos são fornecidos, de “a cada 52 segundos” a “a cada 7 minutos”. Sim, pensamos nele, é claro. Mas também pensamos em criptomoedas, cotações de ações, o resultado da recente final da Liga dos Campeões, sobre os tanques, afinal! Na verdade, em nosso tempo livre de sexo de alta qualidade, não pensamos nisso com mais frequência do que as mulheres. Um estudo de 2011 publicado no Journal of Sex Research descobriu que, em média, os homens pensam em sexo 18 vezes por dia e as mulheres – 10. Mas homens e mulheres pensam em comida e dormem com mais frequência na mesma proporção! A propósito, o fato de um homem estar sempre pronto para o sexo também é um mito: ele pode estar cansado, doente e simplesmente sem graça que queira fazer sexo.

Mito 4: Os homens adoram sexo único, e as mulheres apenas no contexto de relacionamentos

De fato, o sexo de pessoas que mantêm relacionamentos íntimos (independentemente do sexo) é sempre melhor e melhor do que aleatório. E isso é compreensível: eles têm proximidade emocional, um entendimento dos desejos um do outro e uma intenção sincera de dar prazer ao parceiro. Você não pode dizer sobre comunicação aleatória. No entanto, mulheres, como homens, podem fazer sexo e não se apegar ao mesmo tempo, como Daniel Bergner afirma no livro “O que as mulheres querem?”.

 

Mito 5: Mulheres não assistem pornô

Na verdade, eles até olham. Mas cerca de 10% dos homens não fazem isso. Outra coisa é que, nas cenas sexuais francamente agressivas com as quais os filmes adultos pecam, muitas mulheres repelem e insultam seus sentimentos. Mas isso não significa que o corpo não reaja fisiologicamente às cenas sexuais (uma corrida de sangue para os órgãos pélvicos, uma mudança na atividade cerebral, etc.). O problema é diferente: “A maior parte do pornô popular é feita por homens e por outros homens”, diz Debbie Herbenick.

Mito 6: Você pode simplesmente ser amigo de um homem

Talvez eu desaponte alguém, mas não há amizade entre homem e mulher. Vou dizer mais: qualquer contato entre um homem e uma mulher já é um certo tipo de relacionamento. Se você pode ser amigo, então talvez seja um “amigo com benefícios” – um cara é “amigo” apenas de garotas de interesse sexual para ele. E não contra os “amigáveis” para fazer sexo. Ou com aqueles a quem “há uma certa quantidade de nojo físico” (disse Nietzsche!). Mas, ainda assim, isso não pode ser chamado de amizade no sentido tradicional.

Mito 7: As meninas são loucas pelos “bandidos”

É difícil negar o carisma dos meninos maus. Mas isso não significa que eles são populares entre todo o sexo justo. Em primeiro lugar, a mesma mulher em diferentes idades pode ter preferências diferentes. Se o romance da juventude está associado à aventura e à unidade, e a um louco amante de heróis por perto, insolente, irônico e aventureiro, um dia chega um momento – e de repente você quer algo radicalmente diferente: calmo e confiável. Em segundo lugar, quantas pessoas – tantas opiniões, mulheres diferentes gostam de homens diferentes.

Mito 8: Primeiro encontro sexual – Ruim

Todos individualmente. Conheço muitos casais que fizeram sexo no dia em que se conheceram e estão casados ​​há muitos anos. Assim como outros casais que entraram em um relacionamento íntimo pela primeira vez apenas seis meses antes do casamento, mas isso não salvou seu relacionamento posterior. A única razão para fazer sexo com outra pessoa é o desejo. Não imposto de fora, não por medo de perdê-lo, ou vice-versa, ligado a si mesmo – mas sinceramente desejo. E quando isso acontece – isso não importa. E se você se rendeu a ele no seu primeiro encontro, não precisa comer seu cérebro sem sentido “o que ele pensará de mim agora?”, “Eu cometi um crime!”, “Eu sou uma mulher caída”. E isso não afeta o desenvolvimento de outras relações. Isso não vai impedir um homem que não está inicialmente preparado para um relacionamento de longo prazo e não afugenta aquele em quem você se envolveu.

Mito 9: Sem sexo depois dos 55

Segundo as estatísticas, 60% dos homens com idades entre 60 e 80 anos estão completamente satisfeitos com sua vida sexual e funções genitais. O mesmo se aplica a 64% das mulheres dessa idade. Uma diminuição na atividade sexual é observada ao longo dos anos, mas a satisfação permanece. Tanto o amor quanto o sexo são submissos a todas as idades.

Com esses erros, é melhor dizer adeus e aprender a viver, concentrando-se em seus próprios sentimentos e preferências. Uma vez que todas as crenças impostas de fora restringem a liberdade de escolha para viver como achar melhor. Amar, fazer sexo, aproveitar a vida! 

Impotência sexual: Por que a potência masculina enfraquece?

Impotência sexual: Por que a potência masculina enfraquece?

Pode haver muitas razões para a insegurança masculina, mas na maioria das vezes os problemas com uma ereção causam qualquer doença. Como evitar o problema e impedir seu desenvolvimento, consideraremos no artigo.

Segundo os médicos, uma vida sexual ativa e saturada para um homem também é uma necessidade, porque fornece-lhe boa saúde na esfera íntima. O sexo regular se torna uma excelente profilaxia do adenoma da próstata e, como resultado, impede o desenvolvimento de câncer. No entanto, mais cedo ou mais tarde, alguns homens de repente se sentem inseguros e desconfortáveis. Existem muitos problemas que fazem com que um homem tenha dificuldade com uma ereção. Geralmente, antes de tudo, todo mundo peca com qualquer doença.

Aspecto médico

A impotência sexual nos homens pode se desenvolver no contexto de processos inflamatórios na próstata, chamados prostatite ou com um aumento (adenoma) da próstata. Além disso, como dizem os médicos, a presença de doenças do sistema cardiovascular, desequilíbrio hormonal, diabetes ou isquemia pode levar à impotência “masculina”. E muitas vezes tudo isso é relevante para homens em idade mais madura, embora, de novo, de acordo com os médicos, os primeiros sinais de prostatite possam se manifestar mesmo aos 30 anos de idade. Portanto, é necessário diagnosticar a próstata com os menores sintomas desta doença comum.

Transtornos psicogênicos

A disfunção erétil também pode se desenvolver no contexto de sobrecarga psicológica. Por exemplo, se uma pessoa fica estressada ou deprimida por um longo tempo, entra em conflito com colegas ou parentes, é improvável que ela espere algum feito na esfera íntima. Os maus hábitos também acrescentam lenha à fogueira da insolvência masculina – fumar, o abuso de álcool se torna a causa de sérios problemas no trabalho de todo o organismo, e a esfera íntima é um indicador de certos problemas de saúde.

Expectativas superestimadas

De fato, muito sexo na vida dos homens também não é bom. Se você faz amor com muita frequência, tentando provar a si mesmo que não tenho nada e não tenho nenhum problema, você pode prejudicar seriamente o corpo. A secreção das glândulas sexuais, como vários estudos demonstraram, está se tornando a base da vitalidade humana – tanto física quanto mental. Sexo muito frequente leva ao fato de que os recursos do corpo são produzidos rapidamente. E isso levará ao envelhecimento precoce. Nesse caso, o sistema reprodutivo não lidará mais com sua tarefa conforme o esperado.

Para os homens, muitas vezes é muito – isso é uma prova de sua força. Naturalmente, eles têm certeza de que devem estar sempre prontos. Os médicos chamam essa abordagem de falsas expectativas de seus corpos. As falsas expectativas sobre o aumento do poder masculino são tiradas de diferentes fontes – de acordo com as histórias de amigos, é desenvolvida uma imagem com a qual um homem em particular nunca sonhou. A Internet também dá sua contribuição, onde tudo está disponível mostrado e contado. Além disso, as cenas em que os atores marcados com mais de 18 anos podem fazer tantas coisas por muito tempo e variadas têm seu efeito sobre a psique de um homem e suas idéias sobre o ideal.

Neste último caso, raramente alguém pensa que a imagem apresentada na tela não reflete a realidade de forma alguma e que tudo isso é principalmente ficção. As tentativas de repetir o que viram geralmente terminam em fracasso. E isso leva os homens a um estado ainda mais quebrado, exacerbando a situação ao limite.

Vale a pena entender que os especialistas consideram que 2-3 relações sexuais por semana são a norma; um homem precisa de pelo menos 40 a 50 minutos para restaurar a força entre cenas íntimas.

Como tornar o sexo mais brilhante?

De fato, como dizem os especialistas – médicos e sexólogos – você não precisa de nenhum talento no campo de assistir filmes adultos. Obter uma vida sexual completa, vibrante e saudável não é tão difícil com métodos mais simples. Então, a coisa mais importante a ser focada para se sentir um homem de verdade o tempo todo é a saúde.

É o suficiente para começar a comer corretamente, reduzir a quantidade de estresse, adicionar passeios ao ar livre para se sentir mais saudável e forte. Se, além disso, abandonar maus hábitos, a situação começará a se estabilizar completamente. Também é necessário visitar regularmente um médico, você também pode verificar o nível de testosterona no corpo – é mais fácil fazer hoje: em qualquer clínica, você pode fazer uma análise para esse hormônio.

Uma boa dica é conhecer o suplemento natural HotGel, os homens tem utilizado.

 

Impotência sexual: Por que a potência masculina enfraquece?